O Bitcoin e o Ethereum estão no topo da lista das criptomoedas por capitalização de mercado, preço no mercado e popularidade. Porém, apesar das aparentes similaridades, é vital entender que esses dois ativos e suas plataformas nativas, ou seja, as redes blockchain, são bem diferentes.

Ambas as criptomoedas são ditas não serem títulos pela Comissão de Títulos e Negociações (SEC), ao contrário dos outros criptoativos no mercado que ainda devem ser analisados e julgados. Porém, os dois ativos compartilham mais diferenças do que similaridades e cada uma dessas criptomoedas vêm com vantagens e desvantagens.

Ambas as criptomoedas são ditas não serem títulos pela Comissão de Títulos e Negociações (SEC), ao contrário dos outros criptoativos no mercado que ainda devem ser analisados e julgados. Porém, os dois ativos compartilham mais diferenças do que similaridades e cada uma dessas criptomoedas vêm com vantagens e desvantagens?

Bitcoin Vs. Ethereum: Diferenças

Mesmo se você nunca tiver usado ou tido uma criptomoeda, você já deve ter ouvido falar do Bitcoin - a primeira e original moeda digital que começou toda a loucura por criptomoedas, trazendo junto a tecnologia do blockchain para a atenção de todos. O Bitcoin representa um ativo digital que serve como uma moeda dado o fato que o Bitcoin pode transferir e armazenar valor monetário pelo blockchain. A primeira e maior criptomoeda por capitalização de mercado foi criada e lançada em 2009; entretanto, seu criador continua desconhecido, lançando o Bitcoin sob o pseudônimo de Satoshi Nakamoto.

De acordo com o conceito do Bitcoin, a ideia principal foi criar uma forma alternativa de transferir o valor monetário sob taxas que seriam mais baixas comparadas às taxas usadas pelos bancos, enquanto a autoridade principal da rede continua descentralizada, apresentando uma rede de código aberto com os mineradores sendo a força motriz do mecanismo de transação do Bitcoin e o seu protocolo de validação.

Em termos oficiais, o Bitcoin é descrito como um “sistema de dinheiro eletrônico ponto-a-ponto”, o que define muito bem seu propósito. Com o Bitcoin, os usuários podem transferir fundos em unidades de Bitcoin (satoshi) em minutos ao contrário de usar bancos que levam dias para completar as transações, e ainda com taxas significantemente mais baixas, enquanto todos os mineradores estão trabalhando em validar os blocos durante as transações.

O Ethereum apareceu cinco anos após o lançamento do Bitcoin, enquanto o mercado de criptomoeda estava passando pelo seu humilde começo. Ele se apresentou não apenas como uma moeda parecida com o Bitcoin, mas também uma rede criada para aplicações de contratos inteligentes. O Ethereum teve um grande papel no desenvolvimento de plataformas baseadas no blockchain, com o diretor do Ethereum, Vitalik Buterin, provando que o blockchain pode fazer mais do que transacionar valores monetários através da rede de um usuário para o outro. Com a criação de contratos inteligentes, o Ethereum abriu um novo mundo de oportunidades para desenvolvedores e entusiastas do blockchain, também trazendo os Dapps - aplicações descentralizadas - para o jogo.

O CEO e criador do Ethereum, Vitalik Buterin, descreve o Ethereum e a plataforma blockchain por trás dele como um “supercomputador”, considerando que o Ethereum é bem diferente do Bitcoin, apesar de compartilharem uma natureza descentralizada e a liquidez do mercado de criptomoedas.

Além de permitir a criação de várias aplicações descentralizadas, a rede Ethereum também funciona como uma rede de hospedagem para moedas que não possuem uma plataforma blockchain nativa, além de encorajar a criação de moedas valiosas. Resumindo as diferenças entre as duas maiores criptomoedas do mercado; a forma que o Ethereum se difere do Bitcoin pode ser explicado ao chamar o Bitcoin de um sistema de dinheiro ponto-a-ponto, enquanto o Ethereum tem a integridade de um supercomputador feito para operações de contratos inteligentes além de transacionar valores.

Ao passo que o termo Bitcoin representa tanto a moeda quanto a plataforma, o nome Ethereum é relacionado à plataforma enquanto sua moeda nativa é chamada Ether (ETH). Mesmo que ambas as redes usam protocolos de Prova de Trabalho, o protocolo específico que a rede Ethereum usa é uma versão da PdT chamada “Ethash”. A versão da Prova de Trabalho dá vantagens aos mineradores comuns que não usam equipamentos caros de mineração, como mineradores ASIC, também exigindo mais memória para entregar esse propósito específico.

Bitcoin Vs. Ethereum: Vantagens e Desvantagens

Quando discutimos as vantagens e desvantagens entre o Bitcoin e o Ethereum, podemos começar de uma parte integral: validando transações.

As transações de Bitcoin são validadas através do processo de mineração, o que envolve resolver equações matemáticas para validar as transações e coletar recompensas em formas de unidade de Bitcoin (satoshi). Os mineradores estão o tempo todo competindo com equipamentos de mineração, o que torna a mineração de Bitcoin extremamente centralizada e reserva apenas para aqueles com os mineradores ASIC mais avançados, o que significa que as empresas de mineração detêm o monopólio da mineração de Bitcoin. Isso é considerado uma grande desvantagem para o Bitcoin dado o fato de que a competitividade dos mineradores pode levar as taxas de transação a aumentarem substancialmente com a energia usada para resolver as equações matemáticas. O Ethereum trocou seu protocolo PdT para resolver essa competitividade na mineração.

O Ethereum, por outro lado, está planejando mudar o trabalho de Prova de Trabalho para Prova de Aposta, o que, como o nome sugere, depende mais de apostar do que minerar para validar as transações. A versão futura da rede com o protocolo modificado deve ganhar uma vantagem em termos de possuir um protocolo mais eficiente que escolhe os validadores baseados em suas apostas - similar a votar os direitos em uma empresa que oferece ações - recompensando os apostadores com ETH.

Além disso, o Ethereum tem uma vantagem no tempo necessário para uma transação ser completada, levando aproximadamente 15 segundos ao contrário dos 10 minutos, que é o tempo necessário para uma transação de Bitcoin ser validada e transacionada de um ponto ao outro. Isso se refere ao tempo de bloco de ambas as redes, onde o Bitcoin leva minutos ao contrário do tempo de bloco do Ethereum que leva apenas segundos.

O ponto onde o Bitcoin tem uma vantagem é em termos de segurança. Enquanto o Ethereum teve uma grande e notória falha de segurança, onde o sistema DAO foi afetado, com milhões de ETH sendo roubados, a segurança do Bitcoin impede tais ataques de segurança. O fato de ambas as redes terem problemas de escalabilidade e passar por atrasos está prestes a mudar, pelo menos para o Ethereum, já que os desenvolvedores estão trabalhando para criar uma solução viável que deve resolver o problema da escalabilidade.

Apesar das vantagens e desvantagens que ambas as redes possuem, o propósito e aplicação das duas é integralmente diferente. Por conta disso, comparar o Bitcoin com o Ethereum apenas serve para enfatizar as grandes diferenças entre essas grandes criptomoedas.

Rate this article:
Author: Tokens.net Team
English
Deutsch
Italiano
Français
Español
Nederlands
Polski
Svenska
Português
Türkçe