O Bech32 é um tipo de codificação usado para aplicação de camadas. Também é conhecido como “Base32”. Originalmente, essa codificação representou um formato de endereço para a versão 0.16 nativa de outputs de testemunhas. Inicialmente, o mecanismo original e da primeira criptomoeda dependia de endereços na Base58 com duplo SHA256 como parte do sistema. Mais tarde, o escopo foi estendido para P2SH (pay-to-script-hash).

Já que a codificação inicial o algoritmo de checksum possuíam falhas em termos de limitações, o novo formato de endereço foi proposto. Uma das limitações da codificação inicial de Base58 foi a necessidade de usar muito espaço em QR Codes. O motivo para essa limitação é o fato da Base58 não ser capaz de usar um modo alfanumérico. Além disso, notou-se que o checksum duplo SHA256 era lento e não tinha garantia de segurança, o que era um grande problema. Além dessas limitações, a Base58 acabou sendo conhecida como muito lenta e complicada de ser usada.

Enquanto a Base58 representa um caso misto, o Bech32 pode ser apresentado como uma alternativa mais eficiente e a prova de falhas. Ele tem uma parte legível como uma linha que pode ser lida e um formato menor que é apropriado para a leitura de QR Code.

O Bech32 foi criado para reduzir o tamanho da transação

Além do mais, o Bech32 foi criado para produzir transações pequenas, com tamanho reduzido quando comparadas com transações feitas através do P2SH SegWit. Tanto o Bech32 quando o P2SH usando 20 bytes para o hashing; entretanto, o Bech32 não precisa de bytes adicionais, apenas um valor fixo de 00 hash. Por outro lado, o P2SH demanda um valor de 160 hash operacional além de precisar de OP_EQUAL junto com os 20 bytes integrados.

Além disso, o Bech32 não requer o script de assinatura sem-testemunha, enquanto o P2SH precisa de 23 bytes para cada input com bytes adicionados tirados do P2SH UTXO. Apesar dos dois estarem sendo comparados, o P2SH representa um tipo de transação enquanto o Bech32 é um tipo de codificação equivalente ao SegWit nativo, o que, além de tudo, promove a melhor detecção de erros.

Saques e envios liberados para endereços Bech32

A forma atual da plataforma Tokens.net permite que usuários usem endereços Bech32 para enviar e sacar fundos. Apesar de saques e transações de fundos estarem liberados através de endereços Bech32, os usuários não conseguem fazer depósitos diretamente na plataforma, porém, ao invés disso, enviam depósitos através de carteiras.

Como resultado, os endereços Bech32 oferecem um ambiente amigável para pequenas transações além de ter funções aprimoradas na parte de detecção de erros. Endereços Bech32 não podem ser usados para depósitos na Tokens.net.

Falando sobre a morfologia dos endereços Bech32, esses endereços possuem uma parte legível e usam “bc” para acessar a mainnet e “tb” para a testnet. O separador entre a parte legível e a criptografia é sempre “1”. A linha do Bech32 possui um máximo de 90 caracteres com uma parte de dados consistindo em caracteres alfanuméricos que possuem pelo menos seis caracteres. Os caracteres alfanuméricos na linha do Bech32 excluem “1”, “b”, “i” e “o”..

Os endereços Bech32 têm entre 42 e 62 caracteres. Uma forma comum de endereços Bech32 pode ser visto nos seguintes exemplos:

bc1qar0srrr7xfkvy5l643lydnw9re59gtzzwf5mdq (42 caracteres)

e

bc1qc7slrfxkknqcq2jevvvkdgvrt8080852dfjewde450xdlk4ugp7szw5tk9 (62 caracteres).

Rate this article:
Author: Tokens.net Team
English
Deutsch
Italiano
Français
Español
Nederlands
Polski
Svenska
Português
Türkçe